Belém é a primeira cidade das Américas a sediar o Encontro das Cidades Criativas da Unesco

Evento internacional traz à capital do Pará chefs de diversas regiões do mundo para imersão culinária e cultural. Programação da Unesco busca promover intercâmbio e estimular negócios voltados para a cadeia produtiva da gastronomia paraense

Belém vai sediar, de 7 a 11 de novembro, o Encontro das Cidades Criativas da Unesco, evento internacional que, pela primeira vez, será realizado no continente americano. Os sabores regionais são o centro da programação, que trará à capital do Pará chefs de diversas regiões do mundo para conhecer nossa tradição gastronômica e cultural.

 

Com uma das culinárias mais autênticas do planeta, ao aliar a influência portuguesa à indígena e africana, Belém traz no paladar ingredientes da exuberante floresta amazônica e vê sua identidade e história conectadas diretamente a essa profusão de sabores: ervas, jambu, tucupi, peixe, açaí, cupuaçu, camarão, bacuri, castanha e pimentas de cheiro.

 

Estratégias para potencializar negócios e a sustentabilidade no setor da culinária na região são o foco do Encontro, o primeiro grande evento que será realizado após Belém ter conquistado o título mundial de Cidade Criativa da Gastronomia pela Unesco, em 2015, concedido a apenas 18 localidades em todo o mundo.

 

Para o Encontro realizado em Belém, já está confirmada a participação de 16 representantes da Unesco vindos da China, Líbano, Colômbia, Estados Unidos, Suécia, México, Coréia do Sul, Irã, Itália, Espanha e Turquia

“Fazer parte da Rede das Cidades Criativas da Unesco integra Belém a uma comunidade internacional em uma promissora e intensa troca de conhecimento, experiências e de negócios”, destaca João Cláudio Klautau, coordenador do Comitê Cidades Criativas da Unesco.

 

Valorização do Pará

 

O Encontro busca impulsionar toda a cadeia produtiva do setor gastronômico, desde os pequenos produtores de insumos orgânicos, as indústrias processadoras e exportadoras de alimentos, passando por toda a logística envolvida nessa dinâmica, até chegar às mesas de bares, restaurantes e hotéis.

 

“Um evento desta grandiosidade e inédito nas Américas coloca Belém na vitrine do mundo. Reunir especialistas internacionais aqui para pensar caminhos de estimular o setor da culinária fortalece o setor, atrai turismo e estimula a qualificação do mercado, para que a gente produza com mais qualidade, atenda ainda melhor e compreenda nossos pontos fortes no mercado estrangeiro”, pontua Klautau.

 

Neste sentido, o Encontro propôs a criação de uma ampla rede de chefs paraenses que irão participar do Circuito Gastronômico Cidade Criativa da Gastronomia. Mais de 30 restaurantes de Belém irão oferecer pratos exclusivos, criados para o evento, que valorizam ingredientes locais.

 

“Temos uma joia rara, uma pérola, e precisamos nos apropriar disso, porque é nosso, é nossa história, senão virão outras pessoas e se apropriarão”, destaca Fábio Sicilia, diretor da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes no Pará (Abrasel).  Para o chef do restaurante Famiglia Sicilia, o evento marca a oportunidade de o Pará ser reconhecido mundialmente pela sua gastronomia e fortalecer seu mercado.

 

“Teremos a oportunidade de entender como os olhares e os paladares estrangeiros percebem nossa culinária, e como podemos ‘vender’ melhor, qual formato é mais atraente, e nos qualificarmos para atender a todos os públicos, aquele que prefere uma versão mais ‘inovadora’ dos pratos, e aquele que prefere a versão mais ‘tradicional’”, diz Sicilia.

Programação

 

Realizada pela Prefeitura de Belém com apoio do Governo do Estado, a imersão culinária e cultural contempla uma diversificada programação, que levará a comitiva da Unesco para conhecer a produção ribeirinha de alimentos, apresentará a pluralidade de cheiros e sabores do Ver-o-Peso, a cultura indígena e a riqueza musical do Pará.
A abertura do Encontro das Cidades Criativas da Unesco será realizada no Palácio Antônio Lemos no dia 7 de novembro, com show de Dona Onete e apresentação da Banda da Guarda, com repertório do Maestro Waldemar Henrique.

 

No dia 8, a comitiva visita a ilha do Combu, onde conhecerá a cadeira produtiva da mandioca e do cacau. No Ver-o-Rio, povos indígenas apresentam sua cultura com danças, artesanato e pintura. Aberta ao público, a noite segue ainda com show de carimbó e escola de samba.
Dia 9 haverá o “Workshop Biodiversidade: Diálogos com a gastronomia”, no Pólo Joalheiro. Em seguida, será realizado um dos momentos altos da programação, o “Desafio ao vivo de chefs – Cooking Show”, que reunirá chefs internacionais da comitiva da Unesco a chefs paraenses e outros convidados de diversas regiões do Brasil. Os chefs visitantes terão que cozinhar usando ingredientes típicos do Pará e de outras regiões do mundo, criando, ao vivo, pratos inusitados e inéditos.

 

No dia 10 a comitiva conhecerá o maior mercado a céu aberto da América Latina. A programação no Ver-o-Peso promoverá ainda um intercâmbio dos chefs com as boieiras da feira. A cantora Fafá de Belém encerra a noite com show aberto ao público no Portal da Amazônia, com carimbó e guitarrada
No último dia do Encontro, 11, o grupo visitará as ruínas do Murucutum e o Festival Fartura, que reúne produtores, mercados e chefs para provar novas receitas e também pratos típicos de diversas cidades do Brasil.